quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Pais podem ser bizarros


Estava eu lendo a Joystiq, meu site favorito pra notícias de games, quando me deparei com uma matéria inusitada. Logo vi que precisava fazer comentários a respeito disso, não pude me conter. Aproveitei pra pegar a imagem que eles usaram para o texto.
A notícia é a seguinte: de acordo com pesquisas conduzidas pelo site What They Play, os pais preferem que seus filhos consumam álcool ou assistam filmes pornôs do que joguem determinados tipos de videogames.

É, você leu certo. É melhor ficar "no grau" vendo as Aventuras Sexuais de Fulaninha do que jogar alguns games. Suponho que eles estejam falando daqueles jogos Edutainment (education + entertainment), xaropíssimos, que de vez em quando aparecem.
Sarcasmo à parte, os jogos referenciados provavelmente são os suspeitos de sempre. As múltiplas versões de GTA e seu bando de ladrões; Quake/Doom/Halo/Gears com seus personagens cheios de hormônios, palavrões, explosões, armas gigantes e tiroteios. Ou os abertamente sanguinários, como o Manhunt.

O mais divertido foi o mês de abril: os pais estão ligeiramente menos preocupados com seus filhos vendo cabeças decepadas (woohoo! No More Heroes tá liberado!), mas estão ligeiramente mais preocupado com o uso da palavra fuck.

Parafraseando o grande Eric Cartman, só para tornar esse blog uma coisa ligeiramente mais preocupante: fuck, fuckedy, fuck, fuck, fuck.

Como ouvi de uma aluna minha: "Professor, videogames são jogos extremamente viciantes e perigosos, são violentos e cheios de armadilhas que estragam a cabeça da gente". Eu respondi de imediato: "Mas é claro. O Mario montando no Yoshi é um caso de violência animal. Especialmente quando eles pulam em cima das pobres tartarugas. Crime ambiental é inafiançável, alguém devia ter cuidado com isso, estão ensinando a gente a matar os animais! E o Yoshi ainda come as frutinhas que serviriam para alimentar as tartarugas, goombas e todos os outros bichinhos. Que horror!" A parte mais sinistra foi que um pedaço dos meninos entendeu a piada e riu. Outro grupo balançou a cabeça afirmativamente, concordando comigo. Como diria o grande (será que o Cartman fica do tamanho dele?) Obelix: Esses romanos são uns neuróticos!

Na próxima vez que encontrar o pai dessa menina, vou sugerir que ele entregue a ela uma garrafa de cachaça e uns filmes pornôs. Esses, claro, são muito menos preocupantes do que os videogames, fonte da corrupção juvenil.

2 comentários:

X X X X disse...

Devem ser os mesmos pais que vão à missa no domingo e vêem pornografia escondidos na internet...

Aqueles povos africanos que vivem em guerras seculares - só pode ser obra do videogame do demo!!!

OH shit!

Tiago disse...

A argumentação com o Super Mario World foi o ouro! Meu herói! ahahahahhahah